Fonoaudiologia

O fonoaudiólogo atua diretamente com recém-nascidos, crianças, adolescentes, adultos e idosos que apresentam problemas, como gagueira, fala acelerada (taquifemia), troca de letras na fala, dificuldade na leitura e na escrita, respiração realizada apenas pela boca; alteração na voz, como rouquidão, voz áspera ou fina, pigarro contínuo, cansaço constante ao falar; câncer de laringe; distúrbios neurológicos, como mal de Parkinson, Alzheimer, derrame cerebral (AVC), responsáveis por causar dificuldades na fala e na alimentação; paralisia facial; dificuldades na mastigação e deglutição; engasgos constantes (disfagia); uso prolongado de chupeta, mamadeira, chupar o dedo e outros hábitos orais inadequados; mau posicionamento da língua, ficando esta, entre os dentes e prejudicando a oclusão dentária; dificuldade auditiva; necessidade de adaptação de aparelho auditivo; síndrome de Down, paralisia cerebral e outras deficiências leves.

Entre os exames que são feitos por fonoaudiólogos estão audiometria (exame de audição), avaliação de linguagem oral e escrita; avaliação vocal; avaliação de motricidade oral, emissões otoacústicas e processamento auditivo central.

Na Clínica de Fonoaudiologia e Acupuntura Paula Brito veja quais são os serviços prestados e os casos atendidos.

Paralisia facial: patologia de ordem neurológica ou periférica, que acomete pessoas adultas e também crianças. Pode ser causada por traumas, infecções, alteração metabólica, vascular, tóxica, neoplásica e idiopática. Nestes casos, a fonoaudiologia tem o objetivo de estimular a musculatura da face que sofreu perda de movimento e de sensibilidade após a paralisia. Esta estimulação visa dar funcionalidade à musculatura afetada, contribuindo para o restabelecimento das expressões faciais e das funções de mastigação, deglutição, sucção e fala.

Fonoaudiologia estética da face: área responsável por prevenir e tratar o aparecimento de rugas e flacidez na face por meio de exercícios isométricos e isotônicos, além de adequar o trabalho funcional (mastigação, deglutição, sucção, respiração e fala), a fim de que a musculatura facial seja constantemente estimulada, mantendo a face com aspecto jovem, suave e natural.

Disfunção das articulações temporomandibulares: corresponde a um conjunto de sinais e sintomas de ordem musculoesqueléticas que pode afetar as ATMs e/ou a musculatura mastigatória. A principal manifestação é a presença de dor na região da face, podendo ser localizada na ATM ou irradiada para outras partes do crânio, da região cervical, dos olhos e ouvidos. Estas dores podem limitar a abertura de boca, dificultar a mastigação e facilitar o travamento mandibular. Apresenta com frequência dores de cabeça, principalmente nas laterais do crânio; dores no fundo dos olhos e nos ouvidos; zumbidos, ruídos articulares e dores na região cervical (pescoço e ombros).

Nesses casos, cabe ao fonoaudiólogo promover o relaxamento e alongamento da musculatura da face, bem como posicionar a língua e adequar o funcionamento da mastigação, deglutição, sucção e fala (articulação das palavras).

Ronco: é o resultado da vibração de estruturas, como língua, palato mole, úvula e musculatura laríngea, que se encontram flácidos.

Apneia do sono: é a parada respiratória momentânea que ocorre durante o sono. Sua causa pode estar associada a um fator obstrutivo, como excesso de flacidez muscular de língua, palato mole, úvula, musculatura orofaríngea e laringe. Esta flacidez impede a passagem de ar nas vias aéreas inferiores, ficando o indivíduo sem respirar por alguns segundos durante o sono, prejudicando a qualidade do repouso, além de favorecer o aparecimento de diversas doenças associadas à apneia, como problemas cardíacos, metabólicos, endócrinos, emocionais e sociais. Outra causa da apneia pode ser de origem central, em que a área cerebral, responsável pelo mecanismo respiratório, encontra-se com alguma deficiência. Este tipo de apneia é menos comum que a de ordem obstrutiva e pode ser considerada mais grave.

Os tratamentos indicados para a apneia do sono são emergenciais, visto que a maior preocupação é evitar que o indivíduo pare de respirar enquanto dorme. Indica-se o uso do CPAP (aparelho de pressão de ar negativa que injeta ar diretamente nas vias nasais e orais do paciente durante o sono) e os aparelhos intraorais de avanço mandibular, confeccionados e instalados por dentistas que podem através de um reposicionamento da língua promover maior abertura do espaço laringo-faríngeo ( fundo da garganta) e com isso prevenir a obstrução da passagem do ar.

Atuação da fonoaudiologia se dá de forma mais eficaz nos casos de ronco e apneia de grau leve a moderado, em que por meio de exercícios musculares e funcionais (mastigação, deglutição e sucção) é possível tonificar a musculatura enfraquecida, tornando-a forte e melhor posicionada, evitando, assim, que, durante a passagem de ar (respiração) ocorra a vibração muscular e a produção do ruído conhecido como ronco.

Afasia: termo usado para identificar algum tipo de perda das habilidades comunicativas e cognitivas presentes na linguagem falada e escrita, decorrente de uma lesão em áreas específicas do cérebro. A ação da fonoaudiologia neste caso deve ocorrer logo após a lesão, e tem como principal objetivo, por meio de exercícios musculares, cognitivos e de linguagem, reestabelecer a função comunicativa de forma que o indivíduo possa se expressar e ser compreendido por todos.

Rua Dr. Antonio Álvares Lobo, 487 – Botafogo – Campinas/SP - Fone (19) 3233.9544 Conteúdo: | Orneles